Cidadania
&
 
Sustentabilidade

Arquitetando sonhos

Argus Caruso deu a volta ao mundo de bicicleta, cruzando 28 países em 3 anos e meio e visitando mais de 200 escolas

TEXTO_FRED PACÍFICO
FOTOS_ARGUS CARUSO

A curiosidade pode nos levar por caminhos maravilhosos de aprendizado. A inquietude de conhecer mais do mundo fez com que o arquiteto Argus Caruso Saturnino, 37, pegasse um sonho, uma bicicleta e, após planejar cuidadosamente o início de sua aventura, pedalasse ao redor do planeta Terra com a cara e a coragem, além de muita saúde e disposição. Baseou sua aventura na educação, ligando todos os povos através do projeto “Pedalando e Educando”.

Argus Caruso e sua bicicletaA proposta, pioneira no país para a época, se baseou na educação à distância e, durante os três anos e meio do percurso, Argus alimentou com relatórios e imagens um site (arguscaruso.com.br), no qual crianças e escolas pudessem pegar material para, se divertindo, aprender sobre o mundo. Toda a viagem foi elaborada para utilizar-se de rotas que potencializassem o interesse pela História, a Geografia e o dia a dia dos locais visitados. Além da comunicação digital, mais de 200 escolas foram visitadas no percurso, onde o ciclista apresentou os seus caminhos e histórias acumuladas, alimentando os sonhos e educando cerca de três mil estudantes sobre a diversidade cultural e as histórias da humanidade.

“Não podemos temer o desconhecido. Uma coisa que aprendi foi que o ser humano é muito bom. Sempre tive em mente que o melhor caminho para a transformação, para melhorar o mundo, é através da educação. O fato da bicicleta ter sido meu transporte já estabelecia uma conexão imediata com as crianças. Ensinei e continuo ensinando o que vi e vivi, mas, mais importante, aprendi e continuo aprendendo muito com esse projeto. É indescritível a satisfação de ver os olhos das crianças brilhando com as aventuras”, conta o professor e aprendiz Caruso. Infinitas experiências vividas, 20 mil imagens captadas, somados aos mais de 35 mil quilômetros percorridos no pedal.

Escola global

Caruso e uma turma de estudantes de uma das escolas visitadasAo todo foram cruzados 28 países, passando por importantes rotas que fazem parte da história mundial: Rotas Inca, das Caravanas do Império Romano, da Seda, da Companhia das Índias Orientais, da Expansão do Islamismo, dos Mercadores Africanos e Asiáticos, Estrada Real, dentre outras. Várias escolas ao redor do mundo foram se cadastrando e acompanhando a viagem. “Comecei com 20 escolas cadastradas, mas esse número foi crescendo exponencialmente ao longo do trajeto. Teve um momento que consegui a parceria da Cultura Inglesa, que ia traduzindo meus relatórios, e a BBC passou a me seguir na viagem e convidar outras instituições de ensino. Cheguei a ter escolas na Rússia me acompanhando. A proporção e o alcance global do Pedalando e Educando são surpreendentes”, diz.

Toda essa rica experiência de vida e aprendizado resultou na exposição “Caminhos – Volta ao mundo de bicicleta”, e em um livro homônimo, editado pelo Sesc SP, com uma compilação de 150 belíssimas imagens. A exposição só foi possível graças ao apoio dado pela Firjan, Telsan, Atex e Be.Bo, e já rodou diversos países e várias cidades brasileiras. Pode ser vista, até o dia 18 de agosto, no Casarão dos Prazeres, em Santa Teresa.

Já se passaram sete anos que terminou a volta ao mundo e, desde então, Argus tem continuado sua peregrinação educacional por instituições de ensino e realizando palestras por todo o país. A exposição no Rio de Janeiro tem servido para o arquiteto experimentar um novo modo de passar sua mensagem. “Visitar as escolas é positivo, mas muitas vezes me deparo com a falta de infraestrutura no local. Isso não impede do encontro ser proveitoso, mas restringe, pois poder projetar imagens, filmes da aventura, enquanto trocamos ideias é muito mais rico para as crianças. Por isso resolvi montar a exposição no Rio e passar a receber as escolas aqui. É a primeira vez que testo este novo formato, mas digo que é muito positivo. As turmas adoram a experiência, além de que, eles poderem sair da escola para um passeio, é também uma aventura”, explica.

Sonhar como realidade

Beira do rio Ganges na IndiaRodar o mundo de bicicleta é um sonho que o aventureiro vinha alimentando desde seus 14 anos, quando assistiu a um documentário em que um casal francês realizava a viagem desta forma. “Vi que era possível e fiquei com essa ideia na cabeça. Depois, já com meus 17 anos, experimentei pedalar de Minas até o litoral, passando pelo Rio até o Espírito Santo. Isso me mostrou como seria uma experiência maior”, explica Caruso. O espírito desbravador foi crescendo junto com o sonho de infância. A fotografia veio como ferramenta. Apesar da paixão pela arte, o arquiteto sempre fotografou por hobby. Percebeu que a imagem teria um papel fundamental em seu projeto e não é de se surpreender que a estrada tenha mudado a visão do homem. “É clara a evolução da minha fotografia do início até o fim da viagem. A cada quilômetro rodado, mais minha forma de perceber o mundo foi mudando. É tão forte que não vai nunca sair de mim”.

Com a certeza de que realizar só dependia de si mesmo, o arquiteto aos pouco foi estruturando sua aventura até concretizá-la. “Hoje dou outro valor a palavra sonho. Na viagem encontrei um senhor de 80 anos que também estava peregrinando e rodando o mundo. Não podemos deixar de sonhar. Muitas vezes somos nós mesmos que criamos impeditivos e dificuldades. Tendo saúde, acredito que tudo é possível”, diz o menino que continua sonhando e fazendo deste mundo um lugar melhor para se viver.

MATÉRIAS ANTERIORES DE Cidadania & Sustentabilidade

Publicado em – Edição 115
10 de dezembro – Dia Internacional dos Direitos Humanos:
Publicado em – Edição 114
Uma carioca que adota sua cidade
Publicado em – Edição 110
A rua é a rede social
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 5.0/5 (3 votes cast)
Arquitetando sonhos, 5.0 out of 5 based on 3 ratings

Deixe um comentário