Arte
&
 
Cultura

Retorno às origens

Roda de samba na Pedra do Sal

texto_RENATO AMADO
Fotos_arthur moura

Nesta série de matérias você conhecerá opções permanentes da agenda cultural carioca. No Rio há vários encontros musicais, literários e de outras artes que passaram a ser patrimônio da cidade. Vamos descobri-los e mostrar como nascem, crescem e se solidificam. Manteremos o foco nos dias de semana, que são considerados semimortos, mas em que sobra vida. E sim, há muitas alternativas para os que precisam acordar cedo. Por exemplo, você sabia que é possível aproveitar um dos melhores e mais tradicionais sambas da cidade em plena segunda-feira e chegar em casa por volta das 23h?

Roda de samba na Pedra do SalFalo da Roda de Samba da Pedra do Sal, na Gamboa. O Morro da Conceição, ao qual uma escada esculpida no escorregadio granito da Pedra do Sal dá acesso, é um dos berços do samba. O local que teve colonização mais intensa no século XIX, sobretudo por negros baianos recém-chegados ao Rio de Janeiro egressos da Guerra do Paraguai ou buscando oportunidades, tornou-se rapidamente o principal endereço na cidade da religiosidade afro-brasileira. O elemento musical sempre foi extremamente presente, tanto que, segundo alguns, lá nasceu o samba e o primeiro rancho. A par de minúcias históricas, é fato que a região do Morro da Conceição é um dos mais tradicionais pontos de samba do país. Aos pés de suas escadarias, num passado mais recente, tocaram bambas como Jorge Aragão, Beth Carvalho e João Nogueira. Sentado na Pedra do Sal e deixando a mente divagar, ainda é possível visualizar Pixinguinha, Donga e outros tais daquele tempo que também deram o ar da graça.

Lá o movimento musical sempre foi espontâneo, mas desde 2006 foram organizadas rodas de samba que ocorrem, atualmente, todas as segundas e sextas-feiras. Na segunda-feira, mais raiz, toca o grupo Samba do Sal. Uma clássica roda de samba. Sem microfone, o vocal se faz ouvir pela voz do povo. O público é essencialmente formado por pessoas que trabalham no Centro, sobretudo na casa dos trinta, e moradores do Morro da Conceição. Na alta temporada, quando o público aumenta consideravelmente, veem-se muitos estrangeiros e pessoas mais jovens. Na sexta-feira toca Thiago Torres e o Samba de Lei, já com uso de microfone, e o público é mais variado.

O horário, na segunda-feira, é a partir das 19h, indo até aproximadamente às 23h. Na sexta o samba começa às 21h e termina justamente a tempoPessoas frente a parede gafitada na Pedra do sal de você ir para a Lapa, cair na noite.

Programa altamente recomendado para desanuviar a alma às segundas-feiras.

Serviço

Roda de Samba da Pedra do Sal
Rua Argemiro Bulcão, 38, Gamboa (próximo ao Largo São Francisco da Prainha)
Segundas: a partir das 19h
Sextas: a partir das 21h
Grátis

MATÉRIAS ANTERIORES DE Arte & Cultura

GARIMPO CULTURAL Publicado em – Edição 116
Shakespeare em voga
Publicado em – Edição 115
A literatura que não deve nada a ninguém
ROTEIRO BOÊMIO CULTURAL Publicado em – Edição 115
Um verão diferente
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)

Deixe um comentário