Saúde
&
 
Bem-estar

Entrando no armário

SAMANTHA QUINTANS

Mulheres, mães, governantas, empregadas domésticas, babás, faxineiras, passadeiras… A dinâmica da arrumação da casa sempre dependeu de mãos de fadas; da delicada e paciente dedicação do feminino. O feminino transbordou. Hoje está presente não somente nos lares, mas nos bares, empresas, palcos e planalto. Somos motoristas de ônibus, fogões e carrinhos de cachorro-quente. Se necessário, batemos o martelo nas paredes e o fazemos com justiça nos tribunais. Somos provedoras, e é fora do lar que encontramos nosso sustento.

Armário com a porta aberta e organizadoVoltar para casa e encontrar tudo fora do lugar? Jornada dupla de trabalho? Não mais. As “Mulheres Maravilha” de hoje querem organização, funcionalidade, independência e tudo no seu devido lugar. Criativas, sensatas, “antenadas”, sempre buscando soluções e bem estar, para si e para os que as cercam. Somos o feminino, o que cria, cuida e mantém. Surge então uma nova profissão no mercado: a organizadora, uma especialista em padronização e organização ou, como o mercado batizou: personal organizer.

Essa coluna nasce do desejo de dividir com você, leitor, os preciosos segredos de organização em casa. Você mesmo pode fazer. Caso não tenha tempo, contrate um profissional para colocar tudo em ordem e mantenha você mesmo, nunca sem exigir a participação de todos da casa.

Todos os meses, eu, uma profissional da organização, além de organizar minha casa, onde vivem sete pessoas, entre adultos, jovens e crianças, vou passar a vocês, leitores da Folha Carioca, dicas de organização que podem facilitar suas vidas em casa, gerar economia de tempo, dinheiro, espaço e conflitos. E não há como deixar de passar pela criatividade na reciclagem de móveis e objetos que geram pouco lixo e muitas vezes dinheiro! Nada de sair jogando fora.

O lugar onde vivemos diz muito sobre nós. Seu armário está desorganizado? Você tem dificuldade de encontrar o que deseja? Perde tempo? Sua roupa está sempre amarrotada? Sente desânimo só de olhar pra ele? Você pode melhorar sua qualidade de vida, otimizar seu espaço e ganhar tempo. Mãos à obra!O primeiro passo é descartar o que não serve mais. Desapegar, doar, consertar ou simplesmente jogar na lata de lixo! Acumulamos roupas, sapatos e acessórios que não usamos. Apertados, largos, descosturados, faltando botões, fora de moda… “encalham” em nossos armários e cômodas, ocupando um lugar que já não pertence a eles. Atenção! Não deixe o descarte no canto do seu quarto. Vá até o fim e dê destino ao que você separou. Doe; para muita gente, o que não serve pra você, pode ser um verdadeiro tesouro.

ToalhasSugiro que selecione as peças por cor, tamanho, ocasião… Crie “looks”, faça como preferir. Padronizar é um dos “preciosos segredos”. Quando for preciso, você encontrará o que procura com facilidade. Além de se sentir confiante, restará muito mais tempo para estar com a família e evitará atrasos e correria matinal.Muitas vezes o investimento se torna necessário. A padronização dos cabides cria a harmonia visual, a reutilização de caixas de presentes, de ovos, ou bombons, guardam as meias, cuecas e calcinhas, anéis e brincos. Se preferir, lojas especializadas oferecem organizadores em forma de colmeias, caixas transparentes que dispensam etiquetas, sacos para embalar a vácuo roupas de cama e cobertores e mais uma infinidade de produtos. Vale a pena organizar , reutilizar e deixar tudo novo de novo.

samanthaquintaes@folhacarioca.com.br

MATÉRIAS ANTERIORES DE Saúde & Bem-estar

Publicado em – Edição 117
O cuidado de si como prática de vida
Publicado em – Edição 117
Vamos acabar com o mito
Publicado em – Edição 117
Mulheres equilibristas
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 5.0/5 (2 votes cast)
Entrando no armário, 5.0 out of 5 based on 2 ratings

Deixe um comentário