Saúde
&
 
Bem-estar

Desapego, pinceladas e reconstrução

O exercício de despertar a criatividade e recriar o lugar onde se vive muda pensamentos, sentimentos, e, por consequência, o jeito de olhar a vida


Samantha Quintans

Amigos viajantes, amantes forever, parentes desde criancinhas, sócios afortunados, costumam ser muitas as pessoas, os projetos e as emoções que habitam nossas vidas. De repente, puff! Em algum momento, nada do que foi será. Vimos sonhos ruírem como castelos de areia, em um conto de fadas ao inverso, o feliz para sempre mudou de rumo e quebrado o cristal, resta a lembrança impregnada nas paredes da memória. Porque as lembranças penduradas nas paredes que nos cercam podem e devem ser transformadas, cedendo espaço para o que nos faz bem; é terapêutico.

Há muito escrevo pelas paredes pensamentos, letra de músicas, tenho também o hábito de emoldurar figuras ou textos que me remetem a viagens, pessoas amadas, períodos de vida que não quero esquecer. Essa “coletânea de momentos”, de tempos em tempos, naturalmente, é renovada, ao menos, atualizada; as más recordações eliminadas, as mais incríveis evidenciadas. Tem sempre um cantinho especial para os amores eternos; por aqui mantenho fotos antigas de gente querida em paspatu preto, a moldura já variou algumas vezes. Tenho como aliados um bom pincel, fita crepe e uma maravilhosa cartela de cores que me transporta ao universo de Frida Kahlo!

Mãos à obra! Escolha a cor que mais tenha a ver com seu momento. A cor da parede é quase como esmalte de unha, é fácil de trocar. Essa coisa de escolher só o neutro para não enjoar ficou lá atrás. Eleja algumas paredes e faça você mesmo, existe uma infinidade de tons, e a alquimia das tintas é feita rapidinho, a loja cadastra o código da cor, caso seja necessário comprar mais latas no mesmo tom. Esse exercício de desapegar, despertar a criatividade e recriar o lugar onde se vive, muda pensamentos, sentimentos e, por consequência, o jeito de olhar a vida. Vale buscar inspiração em culturas diferentes, usar a energia das cores para criar um ninho de amor, espaços acolhedores, lúdicos. Seja para estar sozinho ou compartilhar, solte os bichos e pinte o sete!

A cada pincelada, o espírito vai sendo renovado, substituído, elevado. Os projetos são do tamanho de um final de semana, bagunça eterna dá confusão mental, é importante que tenha começo, meio e fim. Se não der conta, contrate um profissional. Deixar latas de tintas abertas e paredes pintadas pela metade deprime qualquer pessoa. Uma parede de cada vez, de preferência ouvindo boa música, seja qual for a cor escolhida para te abraçar de agora em diante, será nova, voltar pra casa fica mais gostoso. Com espaço renovado despeço-me do passado e volto a construir minha história com o cuidado de sempre, cercando-me lentamente da vida que transforma.

MATÉRIAS ANTERIORES DE Saúde & Bem-estar

Publicado em – Edição 117
O cuidado de si como prática de vida
Publicado em – Edição 117
Vamos acabar com o mito
Publicado em – Edição 117
Mulheres equilibristas
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)

Deixe um comentário