Saúde
&
 
Bem-estar

Sol: ame-o com moderação

Aliado da saúde e motivo de uma vida social mais ativa no verão, ele pode transformar-se em vilão sem os cuidados necessários

TEXTO_Gláucia Pinheiro

Nunca vi um povo que gosta tanto de sol como o carioca! A primeira coisa que a gente faz, ao sair da cama, é espiar o céu pela janela. Tudo bem que nossa cidade é linda mesmo quando o céu está nublado mas, na verdade, é maravilhosa quando ensolarada!

O sol permite a existência da vida no planeta terra. É nossa fonte de energia, nos dá alegria além de um bonito bronzeado. A exposição à radiação solar produz vários efeitos benéficos para a saúde física e mental do corpo humano. Um dia de sol estimula os passeios pela cidade, as reuniões sociais, brincadeiras ao ar livre, encontros, que possibilitam relacionamentos afetivos, e com isso, mais saúde e felicidade.

A radiação emitida pelo sol é distribuída em vários comprimentos de onda, desde o infravermelho até o ultravioleta.  A radiação ultravioleta pode ser dividida em três faixas: UVA, UVB e UVC, sendo que a radiação UVA e UVB exercem um papel muito importante em nosso organismo. A exposição cuidadosa e moderada a essa radiação favorece a síntese da vitamina D, indispensável para a nossa boa formação óssea e prevenindo a osteoporose. Basta que um mínimo de luz do sol seja captado pelos nossos olhos e hipófise para que nosso organismo tenha seu metabolismo geral equilibrado e se estabeleça em nós um bem estar psicológico. Pesquisas realizadas em pessoas de lugares de clima frio e sombrio demonstraram que a falta de sol pode causar várias doenças, em especial depressão. O sol é considerado um antidepressivo natural.

Entretanto, quando a exposição à radiação ultravioleta é exagerada e inadequada, os riscos de grandes danos são evidentes. Variam desde queimaduras, passando pelo envelhecimento precoce, o chamado fotoenvelhecimento, podendo chegar até à morte causada por desenvolvimento de cânceres de pele, como o melanoma. E, detalhe importante, o efeito das radiações sobre a pele é acumulativo, isto é, as consequências só irão se manifestar por volta de vinte anos após a primeira exposição.

A pele fotoenvelhecida é muito fácil de ser reconhecida porque se apresenta áspera, com rugas proeminentes, manchas irregulares e difusas e telangiectasias, que são aglomerados de pequenos vasos sanguíneos. Apresentam também tom amarelado e uma variedade de lesões, que podem ser benignas, pré-malígnas e neoplásicas.

Para estabelecer uma maneira cuidadosa e moderada de se expor ao sol e garantir um bronzeado bonito, com prazer, saúde e proteção, deve ser levado em conta o seu tipo de pele, o local onde você vive, o tempo e horário de exposição e o fotoprotetor adequado. As pessoas de pele e olhos claros são mais suscetíveis, têm mais probabilidade de desenvolver câncer de pele do que as pessoas de pele mais escura, que possui mais melanina, o pigmento responsável pelo tom da pele. Só que isso não quer dizer que pele escura não queima! Queima sim e também precisa de proteção.

Você encontra à venda uma infinidade de produtos, mas fique atento a algumas características que o protetor solar ideal deve apresentar: absorver UVA e UVB; manter suas propriedades quando exposto à luz; aderir à pele e ser resistente à água; ter fragância agradável; ser fácil de aplicar e de espalhar; não manchar as roupas; não causar irritação. Dois itens são muito importantes: o Fator de Proteção Solar (FPS), que significa o quanto o filtro irá intensificar a sua proteção natural, e o veículo, isto é, se o protetor solar está na forma de creme, loção cremosa, gel, ou outras. Essas indicações deverão ser feitas pelo seu dermatologista, baseado no seu tipo de pele.

Estudos mostraram que o uso regular de protetor solar com FPS 15 durante os primeiros 18 anos de vida reduz a incidência de câncer não melanoma em 78%.

Portanto, proteja-se, e também às suas crianças, antes de se expor ao sol, aplicando o protetor em quantidade generosa, espalhando-o de modo uniforme sobre a pele. O produto deve ser reaplicado a cada duas horas e, mesmo com tudo isso, evite o sol nos horários entre 10 e 15h.

Tudo de bom neste verão!

MATÉRIAS ANTERIORES DE Saúde & Bem-estar

Publicado em – Edição 117
O cuidado de si como prática de vida
Publicado em – Edição 117
Vamos acabar com o mito
Publicado em – Edição 117
Mulheres equilibristas
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)

Deixe um comentário