Arte
&
 
Cultura

Arte que nasceu na Espanha e cresceu carioca

Pilar Domingo expõe um pequeno pedaço de sua grande produção em  nova exposição: “Sombras e Reflexos entre o Sagrado e o Urbano-A vida no DNA dos tempos”

Pilar Domingo é uma artista  nascida e criada no meio de arte. Filha de um grande artista espanhol que exaltou o Rio e fez carnavais cariocas- Benet Domingo(1914-1969),  e de Dona Conchita, hoje com 94 anos, que sempre foi ligada às artes literárias, riscos, rabiscos, cores e luzes. Pilar resistiu bravamente a outros títulos e crivos e sempre se disse artista. Professora concursada em Universidades Federais (RJ e MG) deixou a vida acadêmica, trocando os quadros negros pelas telas brancas para colorir. Pilar não se importou com títulos que enchem de purpurina os grupos de professores universitários. Doutora pela Universidade Complutense de Madri, suas obras estão espalhadas pela cidade e pelo mundo. Pilar, movida pela arte, reuniu todo o acervo de seu pai, em uma casa na Urca, onde vivem três gerações de artistas.  Na Casa Benet Domingo*, num ambiente de energia acolhedora, se faz arte e se estimula saber e criação. Além da Pilar, a casa abriga Pedro Benet, seu irmão, também grande artista plástico e sua filha, Maria Matina jovem  artista que aos 25 anos já tem uma produção de fazer inveja a nomes de expressão no meio das artes plásticas. A residência da família foi feita com espaços dedicados à arte e promover eventos ligados à expressão humana que vão desde conversas alegres e inteligentes em volta de uma mesa, até exposições de artistas convidados, passando pela poesia, teatro, dança, musica e cursos que falam á alma e ao corpo.

A partir de 11 de março a artista estará expondo um pequeno pedaço de sua grande produção em  nova exposição: “Sombras e Reflexos entre o Sagrado e o Urbano-A vida no DNA dos tempos”. Helena Cidade Moura,acadêmica da área de psicologia, portuguesa vivendo no Brasil desde 1979,comenta: “A pintura de Pilar Domingo sempre nos proporciona uma nova reflexão e, diante desta exposição, minha mente parou hesitante por não saber se seria capaz de abranger a dimensão de “A vida no DNA dos tempos”, que, numa expressão plástica simples e enérgica, me envolvia completamente.Olhei, admirei cada obra e, lentamente, a força, a profundidade, a coerência das diferentes linguagens plásticas começavam a construir um sentido para “A vida no DNA dos Tempos”.Fiquei com a alma e o olhar em silêncio e em harmonia com o tempo desconhecido. Em cada obra, a matéria com que Pilar nos transporta ao DNA dos tempos, as cores da Vida que pulsam energicamente nos agarram como parte da própria vida da obra, sombras que pairamos entre o sagrado eterno e o quotidiano/urbano que despimos de passado e espessura”. Helena acompanha a obra de Pilar Domingo desde os finais dos anos 70 e ressalta: “Da força gráfica da gravura em grandes dimensões dessa época aos sucessivos projetos artísticos, sempre notáveis pela intensidade, renovação e profundidade com que são trabalhados e concluídos, Pilar busca nas matérias e materiais a expressão da verdade do viver e do sentir dos seus diálogos interiores com a Vida, com o Mundo.”

No mês de março os cariocas podem apreciar o trabalho da artista e absorver  a energia e o imaginário de seu sangue e cultura catalãs que dão alma e forma à força, energia, sensibilidade e profundidade que sempre nos impressionam e questionam na sua arte.Esta exposição é mais um presente de impressões e questionamentos e sempre bem-vindos.  Os cariocas agradecem a  Pilar.

*Av. São Sebastião, 135 – Urca
Tel.: 8538-1175

MATÉRIAS ANTERIORES DE Arte & Cultura

GARIMPO CULTURAL Publicado em – Edição 116
Shakespeare em voga
Publicado em – Edição 115
A literatura que não deve nada a ninguém
ROTEIRO BOÊMIO CULTURAL Publicado em – Edição 115
Um verão diferente
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)

Deixe um comentário