Artigos
&
 
Colunas

Oswaldo Miranda

Lidia e Adalgisa

Lidia, nos idos da TV-Rio

Lidia, nos idos da TV-Rio

Foi uma agradável convivência. Primeiro quero falar da atriz Lidia Mattos. Quando eu alavancava tudo para as comemorações do Dia das Mães, uma das promoções mais simpática que fazia era a da mãe artista de TV. Ela foi a segunda, sucedendo a Heloisa Helena. Recebia no ar a medalha Stella Guerra Duval, fundadora da Pro Matre, e o diploma, elementos, que certamente, teria guardado entre as suas boas recordações, ela que brilhara em tantas novelas da TV Globo. Quando em Radiolândia, acertei uma permuta. Na TV-Rio, apresentando um programa de variedade, o Rio, cinco para as cinco, abordaria os principais assuntos de edição da revista, folheando-a diante das câmaras, e eu, em contrapartida, inseriria em destaque, boa chamada do programa, sua foto etc. Mais adiante, ainda na TV-Rio, ela conduziria o programa de minha produção do carnê do Erontex, com sorteio e entrega de prêmios. Foi, assim, uma relação gostosa, só interrompida mesmo quando o destino nos despachou para atividades outras, deixando gratas lembranças, agora muito bem evocadas por causa de sua morte.

***

Adalgisa, sempre ela

Adalgisa, sempre ela

Adalgisa Colombo, uma das mais festejadas miss Brasil, também passou profissionalmente pela minha vida, em virtude do dia a dia no Programa Mauro Montalvão, na Rede Tupi. Produzia então a Copa das Cidades, duas, de cada vez, no palco, competindo na exibição de seus valores gerais, depois de filmadas e de apresentadas pelos prefeitos e pessoas de destaque, discorrendo sobre a história, a cultura, a produção, as tradições, enfim, um resumo a proporcionar aos jurados, elementos sobre o que lhes seria mostrado em seguida. Adalgisa compunha esse grupo incumbido de assistir e julgar os elementos que passariam pelo palco. Por ser quem era, ao se pronunciar, precisaria sempre aguardar um tempo para os aplausos se acalmarem. Desnecessário dizer que era uma pessoa de maior destaque na bancada, pela beleza, postura elegante, enfim, uma Miss Brasil, ora. Mas Mauro Montalvão pedia que ela o ajudasse ainda na obtenção de verbas para o programa – patrocínios, anunciantes, o bolo necessário para manter a produção no ar. E Adalgisa era o “abre te sésamo” nessa hora de captação de recursos. Os anunciantes potenciais se desmanchavam em mesuras diante daquela mulher extraordinária, alguns, até, nos convidando, ela, Mauro e eu, para almoços, mobilizando a família para fotografias, autógrafos, carinhos… Miss Brasil em pessoa, gente! E os contatos iam sendo assinados, para alegria do Mauro e nosso, também, pois o salário estava garantido, afinal. Com um trunfo assim!

Adalgisa, miss Brasil 1958, partiu também, aos 73 anos. Vai ser por muito tempo lembrada como um modelo de beleza,charme e elegância, segunda mulher mais bonita do mundo naquela eleição em Long Beach, aos 18 anos…

Ziraldo e um de seus onomatopaicos. Genial, não? Óbvio…

Lidia e Adalgisa… vida que segue…

Deu na mídia

TODA MÍDIA: “Meteoro de 10 mil toneladas explode na Rússia.” Mil e duzentos feridos, três mil prédios abalados, 361 escolas, janelas com vidros quebrados, energia 25 vezes maior do que a bomba de Hiroshima! 2013, hein? Há 65 milhões de anos um deles acabou com a raça dos dinossauros. Ainda há dinossauros por aqui? Brasília…

MÍDIA MUNDIAL: “Papa Bento XVI renuncia.” Peso dos anos, 85, e outras 999 razões que o levaram a tomar a inesperada decisão. Multiplicam-se as especulações sobre o que pode acontecer com a Igreja daqui por diante. Só a morte leva um papa ao destino final: Deus. Então…

SANTA MARIA: Boate Kiss. Meu beijo, minha lágrima para os jovens universitários que partiram antes da hora – a formatura, o anel, o diploma… Na rádio JB-FM, Cazuza está cantando: Faz parte do meu show…

VALOR ECONÔMICO: “Petrobras vai dar prejuízo até 2020.” EXAME: Petrobras – Governo está – até agora – destruindo a nossa maior empresa.” Lembro do Lula, mãos sujas de petróleo, como Getúlio, brandando aos quatros: Estamos autossuficientes.

CARNAVAL: É como já cantava Noel: A Vila não quer abafar ninguém / Só quer mostrar que faz samba também…

ESPORTE: “Um dos maiores atletas dos tempos modernos, medalha de ouro, Oscar Pistourius, é acusado de matar a namorada, a modelo Reeva Steenkas.” Em Londres mostrou-se mau perdedor, ao criticar o brasileiro Alan Fonteles, que o venceu em sensacional arrancada. Fico com seu analista, Sanny Bertoldo: Até que tudo se esclareça, o melhor é guardar a imagem desse multicampeão.

O GLOBO – Mundo: “Depois de mandar macaco ao espaço, Ahmadinejad também quer virar astronauta. “ O macaco foi e voltou bem. Já Mahmoud, que tem a mania da bomba atômica, se for mesmo, bem que podia ficar por lá…

FANTÁSTICO: no final do programa cortou para o circo Voador, aonde um cantor, coro e banda apresentavam a marchinha vencedora do concurso Nacional de Marchinhas de Carnaval. Total falta de apreço pelo evento, já que as letrinhas dos créditos rodavam por cima de tudo. Cabe ainda a pergunta: será que a comissão julgadora, depois de ouvir mais de mil marchinhas não teria coisa melhor para premiar do que “O vovô ampulheteiro” cujo título dá margem para duplo sentido, além de ser muito ruinzinha?

O GLOBO: Flávia Oliveira em Negócios & Cia.: “Comércio perderá 36 bi em feriados este ano; o Rio, 1 bi e meio.“ Sim, mas por que o de rua tem feriado e o do shopping, não? Um papo aqui, um papo ali, não daria para evitar o rombo?

artigos anteriores de Oswaldo Miranda

Publicado em – Edição 117
Osmar de Guedes Vaz, gozador contumaz…
Publicado em – Edição 116
Balzac no carnaval
Publicado em – Edição 115
What a wonderful world!
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)

Um Comentário para “Lidia e Adalgisa”

  1. malu disse:

    Caro Sr.Oswaldo, lendo esse artigo em que a querida Adalgisa é citada,o tempo volta para mim. Nessa época eu era jovenzinha e assistia o programa do Montalvao.O que se comentava na época é que a linda Mis estava tendo um affair com o apresentador, o que não foi adiante pelo fato do mesmo ser comprometido. A bela ficou muito deprimida e tentou se matar, fato muito comentado nas rodas sociais da época…

Deixe um comentário