Artigos
&
 
Colunas

Carmen Pimentel - Língua portuguesa

Impresso ou imprimido? Ganho ou ganhado? Pego ou pegado?

Você também fica na dúvida? Pois é… é para ficar confuso mesmo! Mas por quê? Por que muitas vezes não sabemos ao certo qual particípio empregar?

Primeiro uma breve explicação sobre o que vem a ser o particípio:

Particípio é uma forma nominal dos verbos. Complicou? É que os verbos, muitas vezes, desempenham funções de nomes. No caso do particípio, o verbo geralmente assume a função de adjetivo, além de transmitir a ideia de que o processo verbal chegou ao fim. Por exemplo:

Maria está cansada. Cansada, aqui, é o particípio do verbo cansar com função de adjetivo. Repare que, inclusive, cansada concorda com o nome Maria, ficando no feminino. É justamente porque tem a função de caracterizar Maria, que tem função de adjetivo.

Voltando a nossa pergunta inicial, alguns verbos apresentam duas formas de particípio: uma regular (com a terminação –do); outra irregular, proveniente do latim ou de nome que passou a ser aplicado como verbo. Como saber, então, qual delas escolher na hora de elaborar uma frase? Simples!

As formas regulares são, geralmente, acompanhadas pelos verbos auxiliares ter ou haver. Já as formas irregulares, pelos auxiliares ser ou estar. Observe os exemplos:

Eu tinha imprimido várias cópias do discurso, mas esqueci todas em casa! – auxiliar ter, forma regular terminada em –ido.

Preparei várias cópias do discurso. Elas foram impressas na minha impressora e por mim! – auxiliar ser, forma irregular.

João havia ganhado na loteria um prêmio e tanto! Mas não soube o que fazer com o dinheiro…  – auxiliar ter, forma regular terminada em –ado.

O prêmio da loteria fora ganho por um tal de João! – auxiliar ser, forma irregular.

Pego e pegado também são usados normalmente, de acordo com os auxiliares que os acompanham:

Eu tenho pegado o ônibus sempre no mesmo horário.

O ladrão foi pego com a mão na massa!

Mas atenção! Nem tudo são flores no reino da Língua Portuguesa! Existem alguns particípios que não são aceitos (olha ele aí!) pela norma padrão da língua: o verbo chegar só apresenta a forma chegado. Nada de dizer por aí “Ela tinha chego”.

Outros casos especiais:

Os verbos abrir, cobrir, dizer, escrever, fazer, pôr, ver e vir só possuem o particípio irregular aberto, coberto, dito, escrito, feito, posto, visto e vindo.

Os particípios regulares gastado, ganhado e pagado estão caindo no desuso, sendo substituídos pelos irregulares gasto, ganho e pago.

As gramáticas costumam trazer uma listinha dos verbos que apresentam dois particípios. Eles são chamados de verbos abundantes. Vale a pena dar uma conferida!

Infinitivo Part. Regular Part. Irregular
aceitar aceitado aceito/aceite
acender acendido aceso
corrigir corrigido correto
eleger elegido eleito
entregar entregado entregue
enxugar expulsado expulso
expressar expressado expresso
expulsar expulsado expulso
extinguir extinguido extinto
fartar fartado farto
ganhar ganhado ganho
gastar gastado gasto
imprimir imprimido impresso
isentar isentado isento
juntar juntado junto
limpar limpado limpo
matar matado morto
murchar murchado murcho
pagar pagado pago
pegar pegado pego
prender prendido preso
salvar salvado salvo
suspender suspendido suspenso
tingir tingido tinto
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 5.0/5 (4 votes cast)
Impresso ou imprimido? Ganho ou ganhado? Pego ou pegado?, 5.0 out of 5 based on 4 ratings

19 Comentários para “Impresso ou imprimido? Ganho ou ganhado? Pego ou pegado?”

  1. Ana Maria disse:

    Desculpem, mas isso de “pego” (O ladrão foi “pego” pela polícia) só existe no Brasil, consequentemente não é “correcto”porque no VERDADEIRO português (de Portugal) tal coisa não existe. Que pena que no Brasil deturpem tanto uma língua tão linda e rica! Isso de “gastado, pagado, ganhado” tampouco se usa na língua portuguesa… Parece que no Brasil querem inventar um novo idioma… Se é assim, comecem de zero e não corrompam mais …

    • lucas lima disse:

      Se deturpamos o belo idioma, isso se deve a nossas terras terem sido saqueadas por Portugal por quatro séculos. Se não tivessem invadido as terras alheias, não haveriam brasileiros para emporcalhar seu idioma. Saiu barato pra Portugal esse pequeno prejuízo, ante a famosa invasão portuguesa à nossas terras. Portanto aceite o fato de ser quintal da Europa e siga a vida. Enquanto isso seguiremos construindo nosso jogo de linguagem com base em vosso idioma.

      • José Ferreira disse:

        Havia sido = fora = do 2o verbo: SER (o 1o, HAVER, nessa construção, é o auxiliar, equivalente a TER). Então, “havia sido + forma participial irregular/reduzida”; ex.: aceito, impresso etc.

    • Rafa disse:

      Ana me desculpe,mas o português de Portugal é primitivo, vocês não conjugam os verbos,sendo assim vocês dizem,eu estou a trabalhar,enquanto no português rico e evoluido do Brasil dizemos,eu estou trabalhando. Tenha humildade e reconheça a falta de evolução do vosso português arcaico.

  2. lyra disse:

    O português de Portugal já não se é empregado aqui por décadas…
    Dizer se “isso” ou “aquilo” em nossa cultura, está certo ou errado, acho exagero.

    Satisfeita com as dúvidas que eu tinha =)

  3. Dionata disse:

    Com fica o uso sequencial do “haver” e “ser”??? Por exemplo: havia sido (…)

    Isso torna o verbo no partipio irregular, correto?

    obrigado pela postagem.

  4. Ronaldo disse:

    Um país de analfabetos e corruptos tentando inventar um idioma…

  5. Fernando Oliveira disse:

    Eu tenho essas dúvidas há muitos anos! Mas só agora tive a lembrança de pesquisar na Internet.
    Muito obrigado pelas orientações contidas no site.
    Parabéns! Muito bom mesmo!!!

  6. Fernando Oliveira disse:

    Eu tenho essas dúvidas há muitos anos! Mas só agora tive a lembrança de pesquisar na Internet.
    Muito obrigado pelas orientações contidas no site.

  7. RIBERTO BUENO disse:

    Assim como em outros idiomas, é natural que o português do Brasil seja diferente daquele de Portugal, já que aqui o nosso idioma é resultado das influências de outras línguas e de sua própria história e cultura.
    A língua é um canal vivo de comunicação que está ao longo do tempo se modificando, então não tem sentido falar em “verdadeiro português” ou “deturpação da língua portuguesa”.
    Lógico que tem forma que soam mais agradável que outras, mas isso depende do gosto de cada um.

  8. Ilma gondin disse:

    Muitissimo obrigada!!!!consegui tirar minhas duvidas…muito bom os esclarecimentos….bjos.

  9. Bia ♡ disse:

    Esse negócio de Brasil tentando inventar uma nova língua não tem procedência! O país é um berço de culturas e aos poucos, algumas palavras mudam en consequência disso. Podemos dar o exemplo dos EUA que não têm o mesmo sotaque e, muitas palavras foram criadas no próprio país, o que o diferencia de seu país colonizador.

  10. José Ferreira disse:

    Teria bem convindo, antes da divulgação do “post”-aula, atualizar/”corrigir” a lista das formas (participiais) de vários já não abundantes nesse tópico verbal, uma vez que desde há muitíssimo tempo algumas não são usadas, tais como gastado, entregado etc.

  11. José Ferreira disse:

    P.S.: Falta ao Brasil implementar RACIONALMENTE sua autonomia linguística; a Portugal cabe admitir, humilde e claramente, que, mesmo se mantendo com privilégios, há muito deixou de ser “metrópole de um (falido) reino-império”. Nenhum estrague as facilitações de aprendizado do(s) idioma(s), como já foi feito nos desastrados “acordos de unificação ortográfica”. Ademais, portugueses TAMBÉM cometem absurdos, tanto no falar quanto no escrever.

  12. Juliana Souza disse:

    Olá. Agradeço, está bem explicado, mas gostaria de saber se a palavra “tinto” sempre tem que ser usada. Por exemplo, se eu for dizer que o cabelo de alguém está pintado, mas usando a forma irregular do verbo “tingir”, por acaso eu teria que dizer “o cabelo dele(a) está/é tinto” e não “o cabelo dele(a) está/é tingido”? E em outro exemplo, eu teria que dizer “a camiseta já foi tinta” e “está tinta” ao dizer que alguém já tingiu tal camiseta?

    E eu gostaria também de lembrar à Ana Maria e a talvez outros lendo isto aqui que o próprio português de Portugal não é o mesmo que era na época da colonização, ou vocês portugueses ignorantes que vêm aqui reclamar pensam que há alguns séculos o português de vocês era o mesmo de hoje? Ele também evoluiu e esperar que o português de um país em outro continente do outro lado do oceano evolua da mesma maneira que o de vocês é querer DEMAIS! É praticamente impossível!
    Nem mesmo o português de Portugal é o verdadeiro português, ele não é o mesmo de antigamente. Vocês o foram “corrompendo” (eu não acredito que uma língua possa ser corrompida, creio que só evolua, mas vocês que comentaram aqui claramente creem nisto) ao longo dos anos, ASSIM COMO CORROMPERAM TANTO O LATIM QUE ELE DEIXOU DE SER LATIM; então CRESÇAM, amadureçam e percebam que é assim no mundo todo: o africâner, se não me engano, veio do holandês, o inglês falado nos demais países não é igual ao da Inglaterra e nem o espanhol americano ao europeu.
    Uma diferença é que nunca vi um inglês falar algo assim como o que vários portugueses e espanhóis falam; nunca vi um inglês dizer que os americanos, australianos, canadenses, etc. “corromperam” a língua inglesa; mas há vários portugueses e espanhóis de MENTE MINÚSCULA que dizem isto.

  13. Carmen disse:

    Olá, Juliana,
    O verbo tingir é regular, portanto só apresenta a forma “tingido”.
    “Tinto” é um adjetivo, como em Vinho tinto.
    Assim, o cabelo está tingido e a camiseta foi tingida.

    Abs,
    Carmen

  14. Ulisses disse:

    Boa tarde!
    É correto a frase:
    “O Manuel trouxe o manual imprimido.”

Deixe um comentário