Capa

Friozinho no paraíso

Igreja em Lumiar

Igreja em Lumiar

A região de Lumiar e São Pedro da Serra une tradição cultural, esportes radicais e os prazeres da boa mesa em meio a um santuário do ecológico

TEXTO_ Fred Pacífico Alves
FOTOS_ Arthur Moura

À medida que a estrada vai se distanciando da capital, deixando para trás as correrias e incontáveis preocupações metropolitanas, um novo ar toma conta do veículo. Talvez seja pela percepção real de sua pureza maior, ausente na cidade grande, ou então pela natureza que de tão exuberante quase nos abraça. A temperatura cai e, em pouco mais de duas horas de viagem, cruzar a ponte do Rio Macaé é atiçar o desejo de acomodar-se em frente a uma lareira e não querer mais partir. Isso é certo: a região de Lumiar e São Pedro da Serra desperta isso nas pessoas.

Panorama-Vista-Sao-Pedro-5

Não é à toa que os visitantes desses dois distritos de Nova Friburgo, 5° e 7° respectivamente, costumam sempre retornar após a primeira visita, quando não fincam raízes de vez pelas cercanias. “A região tem uma magia que encanta todo mundo. Quem vem, sempre volta. É um cantinho diferenciado que pode ser chamado de paraíso”, diz o tetracampeão em canoagem e advogado ambientalista Heberson Teixeira Lamblet. Conhecido por Bel e originário de Nova Friburgo, o esportista já frequenta o entorno desde criança, principalmente depois que começou a praticar canoagem. Esporte que, por sinal, tem a região como seu berço nacional, devido às corredeiras existentes, consideradas perfeitas pelo segmento. “O verão é ideal para o esporte, por conta do volume de água, mas o Rio Macaé possibilita a prática durante o ano todo. Já no inverno, há inúmeras atividades ao ar livre para todas as idades”, explica.

Fotos: Divulgação / Lumiar Aventura

Fotos: Divulgação / Lumiar Aventura

Fotos: Divulgação / Lumiar Aventura

Fotos: Divulgação / Lumiar Aventura

Segundo Bel, a mudança definitiva com a família para região foi um caminho natural. “Fundei com alguns amigos a Lumiar Aventura (www.lumiaraventura.com.br) há mais de 20 anos e vimos, desde então, formando excelentes parcerias de trabalho por aqui. Fui passando cada vez mais tempo na área, até que, há dez anos, vim com toda família. Não há comparação em termo de qualidade de vida”. Virtude apreciada em uníssono por quem mora ou visita esse pedaço abençoado pelo casamento entre a Serra do Mar e a Mata Atlântica.
Toda região é um paraíso ecológico, que compõe a APA (Área de Proteção Ambiental) de Macaé de Cima e faz parte da zona de amortecimento do Parque Estadual dos Três Picos. Em meio a uma reserva florestal, dona de uma riquíssima bacia hidrográfica, vivem mais de 4500 espécies de animais e vegetais catalogados, além de diversas espécies endêmicas. De lá nascem rios e correm afluentes importantes para o Estado, que serpenteiam, despencam e se unem por ali em força e volume. O Encontro dos Rios Macaé e Bonito é um desses pontos que valem a visita, pela beleza da piscina natural formada.

Encontro dos Rios

Encontro dos Rios

Quem busca um bom passeio de fim de semana ao ar livre, se encantará com as dezenas de pontos bons para banho de rio, como a Toca da Onça, próxima ao Encontro dos Rios; o Poço Feio, que se tornou um parque privado com estrutura para os visitantes; o Poço Belo, formado pelo Rio Boa Esperança, e a Cachoeira Indiana Jones, também no mesmo rio, que é considerada uma das mais bonitas da região. Fora os pedregulhos, monólitos, pães de açúcar e rochas, que surgem imponentes por entre densas florestas e bosques, como a Pedra Riscada (1450m), importante ponto turístico da região. Visuais perfeitos que são convites à contemplação em qualquer período do ano, mas que no inverno ganham um contorno especial para os amantes da estação.

Paixão que finca raiz

A centernária igreja de São Pedro

A centenária Paróquia de São Pedro

As vilas de Lumiar e de São Pedro da Serra mantêm fortes características da colonização suíça e alemã que receberam, traduzidas nos nomes das famílias, arquitetura, costumes e culinária local. A primeira paróquia católica do município de Nova Friburgo foi construída em São Pedro da Serra, em 1865. A região é um verdadeiro balaio de religiões e crenças: católicos, protestantes, islãs (com o Sufismo) e praticantes do Santo Daime convivem todos em perfeita harmonia. Muitos moradores e visitantes dizem haver na área uma energia especial, potencializada por tanta natureza preservada, que atrai quem visita a região pela primeira vez.

“Vivemos a utopia da aldeia feliz””, brinca a jornalista e artesã Zelma Mayer

“Vivemos a utopia da aldeia feliz””, brinca a jornalista e artesã Zelma Mayer

Assim foi com a jornalista carioca Zelma Gonçalves Mayer, que conheceu as vilas quando não havia ainda energia elétrica ou outros benefícios da modernidade. Casada com o historiador e professor Jorge Miguel Mayer, começou a frequentar a região há 30 anos e, de tanto visitar, resolveram mudar para São Pedro da Serra. “Conheci esse cantinho em 1983. Nessa época comecei a mudar minha alimentação, buscando hábitos mais saudáveis e foi crescendo em mim o sonho de morar na região. Costumo brincar que vivemos a utopia da aldeia feliz”, conta a jornalista artesã que trocou o agito de Ipanema, pela qualidade de vida na serra.

Sarau aquecido pela fogueira na loja Ecoarte, em São Pedro da Serra

Sarau no espaço Ecoarte, em São Pedro da Serra

Buscando atividades que a ocupassem, Zelma descobriu o patchwork e, rodeada por seus livros e muita arte em retalho, não tardou a organizar eventos na fazenda onde reside com a família, abrindo as portas aos turistas e artistas locais. “Sempre fui ávida por cultura e sonhava em poder repartir com as pessoas as coisas que eu curto. Assim surgiu a Ecoarte (www.ecoartebrasil.com.br), como um espaço de comunhão”, explica, referindo-se a um agradabilíssimo cantinho, localizado logo na entrada de São Pedro da Serra. O espaço é palco de vários eventos culturais que, em noites de inverno, são aquecidos por uma fogueira improvisada em um carrinho de mão, para não prejudicar o gramado. Por sua proposta de comércio sustentável, a loja foi condecorada por mérito ambiental, pelo Conselho Municipal do Meio Ambiente de Nova Friburgo (COMMAM). “Vendo coisas que acredito, de bons livros e CDs a produtos e artesanatos nacionais e da região, como uma colcha de retalhos com coisas que gosto”.

Marcelo Auad

Marcelo Auad

Marcelo Auad

Obra de Marcelo Auad

Outro espaço que encanta os visitantes, localizado também logo no começo da rua principal da vila, que tem pouco mais de um quilômetro de extensão, é o Atelier Auad, do pintor Marcelo Auad (facebook.com/marcelo.auad.14). Morador de Nova Friburgo, o artista mantém um espaço expositivo fixo por ali, há mais de dez anos, que vale a visita. “São Pedro é encantador e poder ter esse espaço aqui alimenta minha criatividade”, explica o artista.

Se reinventando na Serra

O antigo analista de sistema Marco Antônio Passos de Azevedo é mais um que trocou a carreira no Rio de Janeiro para encontrar felicidade no meio da mata. Há vinte anos fincou raízes na serra. Morando atualmente em Boa Esperança, outro vilarejo turístico do entorno de Lumiar, Azevedo criou a Aventura Tour, empresa especializada em passeios com jipes 4×4. “Comecei passando períodos curtos, que foram virando meses e agora não consigo nem mais pensar em morar em outro lugar. Aqui me reinventei e consegui realizar coisas que gosto”, conta. Azevedo trabalha em parceria com a empresa do Bel e com outros profissionais que oferecem as mais diversas modalidades do turismo de aventura, como arvorismo, escaladas, rapel, cachoeirismo (prática de rapel em cachoeira), rafting e a já citada canoagem.

Apesar das opções de adrenalina, foi mais o clima bucólico e a rica natureza do local que despertou o interesse do engenheiro civil Gustavo Ranzato. Desde que foi convidado para trabalhar na região, comandando as obra em um sítio, passou a procurar um cantinho para chamar de seu. “Estava um pouco insatisfeito na carreira. Havia sempre um desejo por algo mais. Já conhecia um pouco essa área, mas quando comecei a frequentar a região da Toca da Onça passei a conhecer mais a fundo e me apaixonei e me mudei com minha família. Gosto desse ritmo de interior”, avalia.

A cerveja artesanal Ranz Beer, feita em Lumiar, tem sabores inusitados como Capim-limão e a Maria fumaça, com um toque defumado

A cerveja artesanal Ranz Bier, feita em Lumiar, tem sabores inusitados como Capim-limão e a Maria fumaça, com um toque defumado

Morando na região há dez anos, começou a estudar sobre cervejas artesanais e, há pouco mais de cinco anos, passou a produzir em sua casa suas próprias versões da bebida. O negócio cresceu, forçando-o transformar em restaurante a loja que tinha aberto com a esposa. Criou-se assim o principal ponto de venda e degustação da produção da Cervejaria Artesanal Ranz Bier, fundada por Gustavo. Atualmente a Ranz Bier já possui 13 rótulos que, isentos de aditivos químicos, não são filtrados nem pasteurizados, e passam pela refermentação na garrafa, processo conhecido como cerveja viva. Seus chopes atendem uma clientela fiel, que vem dos mais variados pontos do estado, e abastecem vários bares da região.

Um belo imóvel de frente a lagoa, no centro de Lumiar, é o ambiente perfeito para se entregar aos prazeres etílicos e da boa mesa. “Sempre gostei de cozinhar e de cerveja. Criar novos sabores requer criatividade e acabei me descobrindo na atividade. A coisa foi crescendo no boca a boca e fui me especializando, até fundar a cervejaria”, conta o mestre cervejeiro, que preza por uma produção de alta qualidade e dá preferência aos produtos regionais. “A água e as matérias primas que dão aromas e sabores especiais, como mel, açúcar mascavo e capim limão, são produtos da região, o que fortalece economia local”.

Inspiração que transforma

as esculturas em resina de Celso Bonfim

As esculturas em resina de Celso Bonfim

Parece mesmo que esse belo canto estimula a criatividade e tem certo poder transformador na vida das pessoas. O repórter cinematográfico Celso Bonfim interrompeu a rotina intensa na capital para aproveitar a tranquilidade rural. Um antigo hobby de trabalho em madeira e resina transformou-se em atividade principal e, em São Pedro, montou seu atelier. “Só não vim antes por conta do mercado de trabalho do Rio. Aqui a história é outra e não se chega perto dos ganhos financeiros possíveis na capital, mas se conquista valor em outras coisas. Abro a janela pela manhã e vejo galinha ciscando no gramado verde e minha esposa brincando com nosso filho. Não tem como não se inspirar”, comenta. Tanta inspiração resulta em totens e cubos de delicada beleza, que mesclam madeiras recicladas e rezinas com pigmentos, dentre outros materiais. Quem também escolheu o distrito como arena de inspiração foi a artista plástica mineira Alessandra Vaz (www.alessandravaz.com.br), que divide um espaço com Bonfim para venda de suas obras, no Shopping Cassino Serrano, ponto importante de encontro e comércio. Natural de Poços de Caldas, há sete construiu seu estúdio por lá.

quadro de Alessandra Vaz

Quadro de Alessandra Vaz

Carlos Henrique Bom é outro talentoso artesão da região. Caíque, como é conhecido, é sapateiro, ofício que aprendeu com o sogro, e criou uma marca de calçados cuidadosamente feitos à mão, DoCaíque (facebook.com/docaique). No ponto também montou a sua loja e a sua oficina, onde, em paralelo à produção, vem trabalhando na formação de mão de obra local. “Frequento a região desde a década de 1980 e, em 1997 comprei um imóvel e finquei raízes definitivas por aqui. Procuro preparar o pessoal que trabalha com a gente, para conquistar autonomia produtiva e manter nosso padrão de qualidade”, conta. A receptividade de seus produtos é tanta que a pequena empresa familiar abriu uma filial da loja em Ipanema e tem virado objeto de desejo das cariocas.

 o sapateiro Caíque

O sapateiro Caíque

Neste charmoso centro comercial da serra, vários outros artesãos também abriram suas lojas, concentrando no entorno um bom número de artistas, dentre cafés, cachaçaria e lojas de joias. O prédio, vazado no interior, abriga o Zuhause Bistrô, palco de uma programação musical que é uma ótima opção para quem procura esticar um pouco a noite. Se, ao caminhar ali em frente, seus ouvidos forem seduzidos por um potente e sedoso vocal feminino, entre e arrume uma mesa, pois possivelmente a intérprete Júlia Vargas está dando uma canja.

O Zuhause é uma das boas opções para curtir boa música na noite de São Pedro

O Zuhause é uma das ótimas opções para curtir boa música na noite de São Pedro

Moradora de Niterói, a jovem cantora é muito querida por quem mora na região. “Venho aqui desde criança e sou apaixonada. O clima é mágico, os moradores são incríveis e o público que frequenta é de excelente qualidade. É bacana ver que os turistas gostam do som e saem satisfeitos”, diz. Além da sua banda, Júlia é vocal convidada do grupo Nó Cego, famoso e antigo na região. Seu produtor, Rodrigo Garcia, que já gravou com nomes como Cássia Eller, outra que costumava ser figurinha fácil por ali, tem costurado boas parcerias entre a cantora e músicos consagrados, como Lenine e Ivan Lins, além de vir trabalhando bem o repertório da cantora, com canções como da paraibana Cátia de França, também ilustre moradora do entorno, e da baiana Gal Costa, que a carioca interpreta com maestria.

Música para todos

A cantora Júlia Vargas é presença frequente nos palcos da região

A cantora Júlia Vargas é presença frequente nos palcos da região

Música, arte e cultura são características fortes na região. Programações não faltam, para alegria dos turistas e moradores. Logo na entrada de Lumiar, na beira da ponte do Rio Macaé, está o ponto de cultura Sociedade Musical Euterpe Lumiarense (SMEL). Fundada em 1891 por famílias locais, o SMEL realiza oficinas com crianças e adolescentes, além de manter uma banda de música centenária, que é patrimônio cultural de Nova Friburgo, dentre outros projetos. A banda se apresenta, todo 1ª sábado de cada mês, no coreto da Praça de Lumiar (Praça Carlos Maria Marchon), e é seguida pela apresentação dos músicos dos Sanfoneiros da Serra, excelente projeto que visa resgatar, reconhecer e valorizar a cultura local.

O artesão Cristal está em São Pedro há 20 anos e ainda mantém o espírito hippie que foi marcante na descoberta turistíca da região

O artesão Cristal Astral está em São Pedro há 20 anos e ainda mantém o espírito hippie que foi marcante na descoberta turística da região

A praça é ponto de encontro de intenso happy hour, por agrupar ao redor do coreto o Centro Gastronômico e Cultural Casarão de Lumiar, que abriga boas opções de bares e restaurantes. Ali também se encontra o Espaço Rádio Vitrola, um sebo de discos com preciosidades que valem o garimpo dos apreciadores da boa música e, principalmente, do bom e velho rock’n’roll. Música também não falta no Bar do Vovô (bardovovo.com), localizado ao lado da praça, que há dois anos vem realizando o encontro 2ª sem lei, que já se firmou no calendário da região.

A gente quer cultura, diversão e arte

um aconhegante cinema

Um aconhegante cinema

O duo música e boa bebida são potencializados pelo crescente número de restaurantes que vem, cada vez mais, surgindo nos distritos. Aproveitando produtos e tradições culinárias locais, com influência da cozinha suíça, não faltam opções gastronômica. Com o crescimento e a popularização das cervejas artesanais e importadas, muitos estabelecimentos passaram a oferecer também excelentes rótulos da bebida, além da tradicional carta de vinhos que não pode faltar.

o Casarão no Centro de Lumiar abriga restaurantes, lojas de artesanato e até uma loja de discos de vinil; a Euterpe Lumiarense, centenária entidade da cultura local que hoje abriga um ponto de cultura

O Casarão no Centro de Lumiar abriga restaurantes, lojas de artesanato e até uma loja de discos de vinil

Outro fator que salta aos olhos é o número de opções de estadia existentes no entorno, que vão desde luxuosas suítes, até acomodações mais simples. Quem procura a região pode também, além de aproveitar as riquezas e belezas naturais existentes, aproveitar a programação do espaço Tribuna Livre Cultural, onde funciona o Cine Clube Lumiar, ou checar o que está em cartaz no Espaço Cultural São Pedro da Serra (ECSPS) Educari (www.educari-ong.org), que surpreende com o agradável cinema que possui, além da boa programação com exposições, workshops, palestras e uma sala de informática.

Carlos Pinho, à frente Associação Comercial de São Pedro da Serra e do Espaço Cultural, que oferece intensa programação

Carlos Pinho, à frente da Associação Comercial  e Industrial de São Pedro da Serra e do Espaço Cultural, que oferece intensa programação

Um dos seus administradores, o presidente da Associação do Comércio e Indústria de São Pedro da Serra (ACISPS) e médico Carlos Pinho, explica que o espaço procura manter uma programação interessante durante todo o ano, além de atividades de interesse da comunidade. “Esse é um espaço destinado a todos, moradores e turistas. Trabalhamos fomentando o turismo e a cultura local. Nos últimos anos houve uma melhora significativa na qualidade do atendimento e serviços ofertados em toda região. Quando conseguimos unir os interesses locais em prol de uma melhora coletiva, todo mundo sai beneficiado. Inclusive o turista”, diz Pinho.

Ana Rita Ouverney, morado antiga do local que acompanhou todo o crescimento turístico

Ana Rita Ouverney, moradora antiga do local que acompanhou todo o crescimento turístico

A senhora Ana Rita Ouverney é dona do casarão e uma das maiores incentivadoras das atividades no local. “Vi esse espaço e a cidade se transformarem ao longo dos anos. Passou da agricultura ao turismo e até seus visitantes foram mudando, mas conseguindo manter as boas características locais”, conta Rita, com a sabedoria de suas seis décadas de vida, observando as transformações do lugar.

Por essas e outras que Lumiar e São Pedro da Serra têm atraído um número cada vez maior de visitantes, que se apaixonam e passam a frequentar o lugar regularmente. Neste Inverno, pegue um bom casaco, convide uma boa companhia e aproveite para curtir mais de perto toda beleza que esses cantinhos do estado têm a oferecer. O único risco é você não querer mais voltar para a cidade grande.

selo_mais_na_web_galeria

MATÉRIAS ANTERIORES DE Capa

Publicado em – Edição 117
Mobilidade urbana sobre duas rodas
Publicado em – Edição 116
Adrenalina por opção
Publicado em – Edição 115
Programação de Verão de Cabo Frio e Búzios
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 5.0/5 (2 votes cast)
Friozinho no paraíso, 5.0 out of 5 based on 2 ratings

Um Comentário para “Friozinho no paraíso”

  1. Dalva Santos disse:

    Show! Parabens!
    Como já curtir a região algumas vezes, amei a reportagem. Voltei no tempo dos meus filhotes pequenos e adolescentes. Belas lembranças.

Deixe um comentário