Comes
&
 
Bebes

Só quem provou é que sabe…

TEXTO _ Juliana Marques Alves

Pselogastronomia1anoara comemorar nosso primeiro ano de Gastronomia Carioca, oferecemos a você um passeio bem temperado pelas ruas do Centro e Zona Sul do Rio de Janeiro. Somos acostumados a receber turistas de todos os lugares do Brasil e do mundo, e jamais negamos que também são bem-vindas as suas culinárias. E como são! Nas mesas cariocas, o prato considerado típico é a feijoada de feijão preto, e alguns citam o angu à baiana. No mais, tudo é adoção: carne seca, tutu, cuscuz doce e salgado, massa, aipim, frutos do mar, tabule, e por aí nos perdemos.

Na trilha dos temperos

spices1

No Cidade do Porto, por exemplo, a combinação da cebola com o alho e a pimenta vira magia principalmente na inigualável posta de bacalhau ao Zé do Telhado. Para encontrar o ora-pro-nobis, uma cactácea típica de Minas Gerais que proporciona um suave e saboroso tempero, suba as ladeiras de Santa Teresa, pare no Bar do Mineiro e peça o frango com ora-pro-nobis com polenta. E não deixe de provar os pastéis de feijão mineiro: essa é a entrada que marca a sua presença no local.
As folhinhas do coentro dividem seu sabor e perfume com os ingredientes da caldeirada do Os Ximenes, na Lapa. Ainda nas redondezas, o molho shoyu, um molho de soja utilizado há mais de 2000 anos, pode ser degustado no Mestre Kami. A moqueca à baiana não existiria sem o azeite de dendê, regra seguida à risca pelo Escondidinho. E você sabia que a cebola perde totalmente a acidez durante o seu cozimento? O Nova Capela conhece muito bem o procedimento e aproveita o saboroso resultado durante o preparo do cabrito com brócolis, alho e batatas coradas.

Seguindo os cheiros

No Butecão do Catete, nada melhor que comer a porção de aipim frito… Na manteiga! E o tradicional su? Sim,sim! O Kioto utiliza esse vinagre oriental para dar mais sabor ao arroz e também ao sunomonu, o pepino ao vinagrete. O nordestino Severyna de Laranjeiras não abandona o leite de coco ao fazer as suas moquecas. Aquele gostinho da cebolinha fresca está no Berbigão do Catete, casa especializada em frutos do mar. No Largo do Machado, a Rotisseria Sírio Libaneza também utiliza os cheiros verdes para manter o padrão da melhor esfiha da cidade. E os temperos mais caseiros deixam o cardápio do Encontro das Delícias com gosto de “comida de mamãe”.

Saudade do bom e autêntico manjericão fresco, com folhas largas e fartas de sumo? Então vá à nova Cantina Sanremese, em Copacabana, e coma o gnocchi de espinafre ao molho de manjericão. No Lopes, as ervas fazem parte do tempero exclusivo, feito à base de vinho, do melhor frango assado da Zona Sul. O paladar do wasabi, mais conhecido como raiz forte japonesa, está ao lado de todos os belos pratos do Buda Sushi. E se você optar pelo molho madeira, vá ao Galeto’s Copa: eles derramam essa iguaria com perfeição sobre as lascas de filé mignon no filé com shitake.
O alho, com seu gosto picante e aroma penetrante, se torna suave após ser refogado e deixa um sabor delicioso em tudo. E a melhor forma de comprovar essa história é na sinfonia de frutos do mar, do Príncipe de Mônaco. Ah, e o Rei das Trutas, em Penedo, transforma as amêndoas em um ótimo tempero: vá e prove truta fresca com amêndoas e batata sauté. Tanto em Copacabana quanto em Ipanema, a procura pela hortelã termina ao chegar ao Stambul. Sua culinária sabe utilizar muito bem essa erva de aroma inconfundível, principalmente em seu frango ao molho de hortelã. No Azumi, a lula do exclusivo ika sautée é refogada no shoyo e os outros temperos precisam ser desvendados no local. E você encontra um pouco de tudo que faz bem à saúde na Organici, uma loja de produtos naturais.

pimentinhaVai uma pimentinha?

Bem próximo ao Shopping da Gávea, a pedida é a pimenta rosa que, junto com o sal grosso, completa a picanha assada do Villa 90. Coma os grãozinhos vermelhos sem receios: não ardem. Na ponta da orla, no charmoso Leblon, o Álvaro’s mistura aguardente e cerveja resultando na mais cobiçada massa de pastéis da região. Enfim, o que temos de típico é o nosso paladar que é como o nosso coração, aberto, generoso e apaixonado por coisas boas. Bom apetite!

 

MATÉRIAS ANTERIORES DE Comes & Bebes

Publicado em – Edição 117
Leve, saboroso e ecológico
Publicado em – Edição 116
Mistura geral
Publicado em – Edição 115
Fim de ano de bem com a balança
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)

Deixe um comentário