Saúde
&
 
Bem-estar

Prontos para Voar Leve?

malaSamantha Quintans

“Quanto pesa a sua vida? Imagine por um segundo que você está carregando uma mochila, quero que ponha nela todas as coisas que tem em sua vida…” Em “Amor sem escalas”, George Clooney começa o filme com essas palavras. E nós, o que carregamos em nossas malas? Somos práticos e econômicos como o personagem do galã que circulava pelo mundo com uma pequena, eficiente e funcional mala? Saí em busca de histórias e colecionei alguns casos engraçados, outros nem tanto.

O que nos faz colocar na mala de viagem coisas que muitas vezes não usamos? Janaína me disse que tem medo de ficar doente, carrega com ela uma farmácia de plantão! Maria Luíza quer ter mais opções sobre o que vestir, sua mala já sai de casa lotada. Imagina excesso de bagagem na ida… Ana Clara fica em pânico todas as vezes que pensa em ficar a milhas de distância de sua caixa de joias, viaja dividindo suas expectativas entre a excitação de exibir suas preciosidades e o pânico de que seu tesouro seja roubado. Vai entender… Ouvi histórias de quem começa a arrumar as malas semanas antes de viajar, história de quem arruma no dia do embarque, de quem deixa a arrumação aos cuidados de outra pessoa e o contrário, ouvi histórias de gente que passa dias distante de casa carregando tudo que precisa em uma mochila, sem dramas, ansiedades e com um desapego de dar inveja! Minha amiga Zela, cozinheira dos deuses, só se deu conta de que deixou para trás sua mala de roupas, quando chegou a Búzios e percebeu que se quisesse mergulhar em Geribá deveria vestir folhas de alface, porque a mala havia ficado em casa!

Sabe quais são os itens indispensáveis para planejar sua bagagem? Siga respeitando um roteiro e organize-se. Qual será o seu destino, por quanto tempo, qual a temperatura local? Apenas arrume sua mala após criar e experimentar alguns looks, sem esquecer que turistas vivem intensamente e usam duas mudas de roupas por dia! Quando você tiver agrupado em cima da cama tudo que acredita precisar, retire do monte, ao menos três peças. Adriana me garantiu, elas não farão a mínima diferença… Quem viaja a trabalho, quase sempre é craque nessa tarefa; roupas básicas, discretas e um saco de acessórios, sejam eles gravatas ou colares. Com o mesmo visual que participaram de seminários e reuniões, executivos saem para jantar ou bailar, trajando o modelito usado para a labuta, e é aí que os acessórios fazem a festa e carregam de personalidade o pretinho básico. Walter foi categórico: para frio, ceroulas e luvas, para o calor, blusas de algodão. Tem também a Cristiane que estourava o cartão de crédito comprando roupas para viajar. Cris, quando se está longe de casa, tudo é novo aos olhos dos outros, assim se conquista a oportunidade de estrear o antigo em terras novas. Se é para “estourar” cartão, que seja conhecendo novos lugares, de preferência em roupas confortáveis e sapatos que “andam sozinhos”, fica a dica.
A Folha Carioca do mês passado trouxe estampada em sua capa a beleza da Serra. “Friozinho no paraíso”, o título, convidou os leitores a desfrutar das temperaturas amenas da região; casaco, meias, cachecol e boinas são bem-vindos, mas não podemos esquecer do ”kit cachoeira”, em qualquer lugar do planeta, um biquíni e um par de havaianas se encaixam sem ocupar grande espaço na bagagem. Para mares, rios, cachoeiras, banhos turcos, banhos de argila, imersão em águas que curam, embelezam ou rejuvenescem, uma roupa apropriada salva o passeio. Parte da minha juventude migrei para o mato, em casas sem energia, tomando banho em cachoeiras sem abrir mão do condicionador. Minhas amigas ficavam impressionadas com o tamanho mínimo da minha mala. Paulinha me contou que ainda hoje comenta com a filha sobre meu talento. Fora da mala, carregava a jaqueta jeans e, claro, o travesseiro. Nada é mais volumoso do que um casaco capaz de suportar baixas temperaturas, quase sempre é melhor carregar na mão do que superlotar sua bagagem. Andei pensando… o que trouxe na mala o Papa Francisco em visita ao Rio de Janeiro? Bênçãos, doçura e esperança, porque a roupa é simples, a postura é leve, a alma desapegada e o olhar vivo, é de quem acredita que tudo pode ser novo de novo.

MATÉRIAS ANTERIORES DE Saúde & Bem-estar

Publicado em – Edição 117
O cuidado de si como prática de vida
Publicado em – Edição 117
Vamos acabar com o mito
Publicado em – Edição 117
Mulheres equilibristas
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 3.5/5 (2 votes cast)
Prontos para Voar Leve?, 3.5 out of 5 based on 2 ratings

Um Comentário para “Prontos para Voar Leve?”

  1. Anna Paula disse:

    Querida Sá,
    Amei o texto!! Maravilhoso!! Descomplicado, como deve ser a vida… claro,simples para nossa reflexão… assim como aquela competente micro malinha, que só você sabe fazer!!! bjkas, Paulinha.

Deixe um comentário