Saúde
&
 
Bem-estar

Posso ajudar?

Samantha Quintans*

acumuladoresManchete de jornal: Lixo Zero aplica 121 multas no primeiro dia. Povo mal-educado? Governos gulosos e negligentes?
Papo para muito chopp…
Para além da educação sabidamente carente da nossa gente, que ignora a regra básica de cuidar do coletivo e o exagero de levar à delegacia, o cidadão flagrado jogando na rua uma guimba de cigarro.

O acúmulo de lixo dentro de casa leva a desequilíbrios sociais, físicos e emocionais, podendo desestabilizar o convívio familiar. Em casa as multas são aplicadas de formas diferentes, porém não menos punitivas. Pais e filhos deixam de conviver, crianças são poupadas da poeira que provoca problemas respiratórios, em contrapartida, são afastadas impiedosamente da companhia de parentes amados, gerando tristeza e frustração. O acumulador não somente retém o que pode vir a servir, apegado a roupas, objetos de valor monetário ou emocional. O acumulador não se desfaz dos seus restos, guarda sobra de embalagens, muitas vezes higienizadas e empilhadas, jornais velhos, eletro-eletrônicos sem serventia, todos os potes de sorvete consumidos e trata os copos de requeijão como taças de cristal.

Os resíduos do que foi usado e consumido convivem com os moradores da casa depositados em mesas, entulhados em gavetas, obstruindo passagens e, como não poderia deixar de ser, causando um aspecto desanimador de desordem e sujeira. Qualquer consultor baseado na arte milenar chinesa de organizar espaços, feng shui, tem um chilique, diagnosticando tanta energia parada! Astrólogos e arquitetos vão concordar: impedir que portas e janelas exerçam suas funções básicas de abrir e fechar trará  desconforto ao ambiente, fatalmente refletido na vida dos moradores da casa.

O que fazer?

Pedir ajuda, buscar informação, consultar médicos especialistas se for o caso…
A profissional organizadora ajuda, ajuda muito. Somos profissionais, a bagunça alheia não nos intimida; comove, emociona e inspira.

A multa por dispensar na rua uma guimba de cigarro arrecadará para os cofres da prefeitura do Rio R$157,00, paciência. Um dia, (quem sabe?) o homem nascido livre, romperá com o nefasto hábito escravocrata de deixar para outros, a função de destinar o próprio lixo. Assim se cumprirá a logística reversa com responsabilidade e civilidade. Bom reiterar que só será conduzido à delegacia quem se recusar a fornecer documento de identificação para a aplicação da devida multa. E em casa, quais serão os critérios para restabelecer o convívio social saudável?  Quais serão e como serão aplicadas as “multas”?? Cada casa é um caso, cada família escreve seus próprios mandamentos. Sei que nada sei, mas li em um livro sagrado que o amor é capaz de transformar. E ontem, assistindo inebriada a palestra de Nélida Piñon, concordei quando ela, sabiamente, elegeu Compaixão como sua palavra preferida. Só a compaixão, como principal olhar, poderá tornar tudo novo de novo.

*Samantha Quintans é personal organizer

MATÉRIAS ANTERIORES DE Saúde & Bem-estar

Publicado em – Edição 117
O cuidado de si como prática de vida
Publicado em – Edição 117
Vamos acabar com o mito
Publicado em – Edição 117
Mulheres equilibristas
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)

Um Comentário para “Posso ajudar?”

  1. Joaquina disse:

    Sempre, sempre Samantha e suas opiniões claras e práticas.

Deixe um comentário