+
 
na Web

Banda ZeroCalibre na luta contra a violência urbana

Texto_ Juliana Maques Alves

Rock pela paz Calibre Zero-5849

Rock também agita a bandeira da paz

Em agosto, o Teatro Odisséia abriu as portas para grandes personalidades do rock’n’rollque fizeram parte do Show Violência Zero, um evento beneficente aos integrantes do ZeroCalibre. Desde a sua fundação, em 2003, a banda acumula reconhecimento e carinho de fãs de todos os lugares por onde passa como Skol Rock, Coca-colaVibe Zone, Mountreux Jazz Festival (Suíça) e o Rock in Rio III, mas tiveram de se afastar dos palcos devido a um grave acidente.

Após uma apresentação em Natal (RN), no final de maio deste ano, os irmãos Elísio Alexandrino de Oliveira Neto, 37, e Octávio Soares de Oliveira, 35, integrantes do ZeroCalibre, saíram para comemorar o sucesso da noite e, sentados em uma mesa, foram surpreendidos por dois bandidos. Um deles pegou o celular do Octávio e colocou no bolso, sem falar uma palavra. Como a impressão foi apenas de uma brincadeira de mau gosto, ele pediu a devolução do aparelho. O marginal, armado, atirou nele, que ficou paraplégico, e no irmão, que perdeu um rim e um pedaço do intestino, e ainda teve de reconstruir o duodeno.

A filosofia da banda é protestar contra a violência urbana, a impunidade e as injustiças sociais, o que é bem expressado não somente pelo próprio nome do grupo, mas também em suas músicas. Até agora, foram gravados três álbuns e o quarto ainda está em produção.Nesse momento, eles tentam se adaptar a nova vida e contam com a ajuda dos amigos e da família. “Nós ficamos muito emocionados com o sucesso do Show Violência Zero. Lenine, BNegão, Nenhum de Nós, Biquini Cavadão, e tantos outros ajudaram a encher a casa, que teve, inclusive, de fechar as portas diante da superlotação. Os medicamentos, a cadeira de roda, as adaptações em casa, tudo é muito caro e estamos precisando de muita ajuda”, emociona-se Elísio.

A reabilitação de Octávio começou no Sarah Kubitschek, mas o objetivo é conseguir um acompanhamento da Associação Brasileira Beneficente de Reabilitação (ABBR) por ser um local mais próximo a sua residência. E a melhora no estado de Elísio, que passou a conviver com uma bolsa externa para apoiar a função do intestino, depende de uma cirurgia sem previsão de ser marcada devido a burocracia do plano de saúde. Meninos talentosos, fortes e guerreiros: coragem; vai dar tudo certo.

http://www.zerocalibre.com/

MATÉRIAS ANTERIORES DE + na Web

Publicado em – Edição 117
“A garota da capa”
Publicado em – Edição 117
Ouça o Borogodó de Sandro Black
Publicado em – Edição 117
Imagens: Mobilidade sobre Duas Rodas
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)

Deixe um comentário