Artigos
&
 
Colunas

Samantha Quintans - TUDONOVODENOVO

As ideias estão no chão, você tropeça e acha a solução

braileEm tempos de tudo que a antena captar, meu coração captura ser deficiente visual representa ter 80% menos de informação, 80% menos chances de imitação, comparação, padronização. Enquanto nossos pequenos videntes pupilos crescem reproduzindo movimentos, padrões de beleza, dedicando horas de seus preciosos dias a imagens que saltam aos olhos e caminham a passos largos para a memória do coração, para outros tantos,tanto faz qual é a cor da sua blusa, tanto faz a roupa que você usa, tanto faz se você tem uma cabeça de dinossauro, pança de mamute.Para enxergar, precisam tocar, ouvir e que as paisagens sejam descritas em detalhes. Melhor que o façamos com amor e música. Tudo isso às vezes, só aumenta a angústia e a insatisfação das crianças que não veem, mas família vive junto todo dia e nunca perde essa mania de amparar seus rebentos. Se for preciso, aprendem rápido que a melhor forma de enxergar no escuro é com as mãos e com os ouvidos. Meu pai um dia me falou para que eu nunca mentisse, mas ele se esqueceu de dizer a verdade sobre o pouco dinheiro pra poder pagar todas as contas e despesas do lar e principalmente, se esqueceu de falar sobre o homem que criava e também destruía. Foi vivendo que aprendi o quanto é preciso ser organizado e criativo para ser independente, as ideias estão no chão, você tropeça e acha a solução. Aprendi o quanto é preciso cuidar para ser cuidado e se você me trouxer o seu lar, eu vou cuidar, eu vou cuidar muito bem dele.

Quando meu filho se tornou deficiente visual, decidi: vou me entregar em tudo que eu faço, em tudo que eu falo, meu mundo se tornou mais concreto, palpável, emotivo e narrado. Fui trabalhar com a Hulda Rachel na brinquedoteca do IBC, Instituto de Cegos, usávamos oncinha pintada, zebrinha listrada, coelhinho peludo para identificar as gavetas de legos, carrinhos ou massinhas de modelar (cego adora modelar!).Muitos dos bichinhos mugiam, grunhiam, miavam, relinchavam… A pista sensorial foi decorada com as mais variadas flores de plástico, não morrem e são bem resistentes ao manuseio de quem enxerga com as mãos. Dizem pra você obedecer, dizem pra você responder, dizem pra você cooperar, dizem pra você respeitar, mas não dizem pra você ter compaixão, se colocar no lugar do outro. A minha vida só eu sei como guiar, dizem pretensiosos videntes, enquanto quem não enxerga com os olhos, se concentra no ‘O pulso ainda pulsa’ do coração, levando a vida na ponta dos dedos. Palavras pra dizer de novo o que foi dito, ritmo e harmonia para lembrar do que foi dito. Eterniza o momento, quem o vive com música!Ás vezes fico assim, pensando… não dá para imaginar quando é cedo ou tarde pra dizer adeus, pra dizer jamais, poissó quero saber do que pode dar certo, não tenho tempo a perder. A gente não quer só comida, a gente quer tudo novo de novo.

Texto escrito ouvindo o álbum acústico dos Titãs (1998). Foi  só eu ouvir pra saber que para muito além das imagens, o que se diz e o que se ouve fica impregnado na alma. Feliz dia para a criança que mora dentro de você.

Samantha Quintans é personal organizer

artigos anteriores de Samantha Quintans

Tudonovodenovo Publicado em – Edição 117
Viver é para os insistentes
Tudonovodenovo Publicado em – Edição 116
Severina Chic Chic, gata-garota
Tudonovodenovo Publicado em – Edição 115
Quais são as suas mais sinceras intenções?
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 1.0/5 (1 vote cast)
As ideias estão no chão, você tropeça e acha a solução, 1.0 out of 5 based on 1 rating

Um Comentário para “As ideias estão no chão, você tropeça e acha a solução”

  1. Crystal disse:

    Ena, Caruma, estou impresadsiadoadnada.Tal como a nossa EeT estou no esucro quanto e0 suradpresa. Mas mesmo que ne3o se aproadxime, a sua ideia e9 briadlhante. Parece-me muito inteadresadsante ate9 para futura adopade7e3o

Deixe um comentário