Artigos
&
 
Colunas

Iaci Malta

Vergonha

Vergonha! Essa é a melhor palavra para descrever o que sinto frente à resistência e reação de médicos brasileiros à
vinda para o Brasil dos médicos cubanos. Vergonha sobre vocês médicos brasileiros, usando uma tradução literal da
excelente expressão da língua inglesa, “shame on you”. Acredito (ou quero acreditar) que a maioria dos nossos médicos
não apoie essa campanha de desqualificação dos médicos cubanos, mas infelizmente os que assim pensam não se
manifestaram.

Pelo que foi noticiado no jornal (e não refutado), além de haver menos candidaturas do que o esperado, a maioria
dos médicos brasileiros que se inscreveram no programa criado pelo governo para, principalmente, atender à carência
de médicos nas áreas mais remotas desse grande país, não se apresentaram quando convocados.

medicosNo meu entender, a prioridade de contratação de médicos brasileiros é indiscutível, mas as necessidades da população são imperativas. É difícil acreditar que se tente desqualificar a medicina cubana, cuja eficiência é mundialmente reconhecida. Segundo estatísticas das Nações Unidas, Cuba ocupa o terceiro lugar em todo o continente americano quando à expectativa de vida e seu índice, neste continente, no que diz respeito à mortalidade infantil só é comparável ao do Canadá. A Organização Mundial de Saúde considera o sistema cubano de saúde um modelo a ser seguido por todos os países, sendo melhor que o dos Estados Unidos e de muitos países da Europa.

O pronunciamento corporativista do Conselho Federal de Medicina se refere à “segurança de vida” da população e eu pergunto: que segurança de vida há para alguém que vive num canto remoto desse nosso grande país onde não há um só médico? Refere-se também aos “direitos humanos” e eu pergunto: os médicos que protestam estão preocupados com os direitos humanos dos médicos cubanos, chamados de escravos?

A melhor expressão que encontrei para descrever essa arrogante e absurda postura de questionar a formação e competência dos médicos cubanos, que atenderam em Angola, Moçambique e Haiti, sem tomógrafos e similares, foi em português mesmo: que cara de pau!

Finalmente, há quem acredite que o fato de não dominarem o português seja realmente um problema para os médicos cubanos atenderem eficientemente a população brasileira? “Isso é um presente de Deus. Todo mundo está contente
aqui. Temos medo que ela seja afastada”. Essa é a fala de Deusdete Bispo Pereira, moradora de Jiquitaia, interior da Bahia, após ser atendida pela Dra. Dania Alvero, médica de Santa Clara, Cuba.

artigos anteriores de Iaci Malta

Publicado em – Edição 117
Vergonha
Publicado em – Edição 115
Salvas aos cidadãos paraguaios!
Publicado em – Edição 113
O mundo mágico
VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 0.0/5 (0 votes cast)

Deixe um comentário